Água

Sabe no que tenho andado a pensar, Senhor Doutor?!... Parece-me que a água desempenha um papel essencial nas relações sexuais. Lembrei-me de alguns homens que mal acabam o acto correm para debaixo do duche; daqueles que terminam o coito para num ápice irem à cozinha beber um copo de água e de uns outros, mais raros é certo, que nos preliminares vão esfregando o pénis com água.

Eu sei que grande parte do nosso corpo é composto por água, Senhor Doutor, mas o que me parece absurdo é a corrida desenfreada em busca da água.

Julgo que no primeiro caso, facilitaria muito só se ter relações sexuais dentro de uma banheira, com o duche a correr ou o jacuzzi ligado. A seguir, podia-se ir para a cama dormir descansadamente.

Depois, Senhor Doutor, a desidratação provocada pela cópula é facilmente resolúvel com um jarro de água e um copo à beira da cama. De preferência de plástico, não vá o diabo ou qualquer parte do nosso corpito, tecê-las. Ou então, sobretudo para os outros locais que não as habituais quatro paredes, existem sempre as garrafinhas de água de meio litro ou as bebidas isotónicas consumidas pelos maratonistas.

E no outro caso que mencionei, Senhor Doutor?... Parece-me mais sugestivo o uso de doses maciças de creme nívea ou vaselina. Ou de qualquer elemento untuoso mais comestível, como a manteiga ou o chantilly. A não ser que se queira ter um boxeur, com uma toalha encharcada de água pendurada no pénis, abaixo da cabeça, para reutilizar sempre que necessário.

0 comentários: