Fundamentalismos


Oh Senhor Doutor, como diria o Pedro Tocha da Frize, tou que nem posso!...

Ora veja bem que fui tomar o meu cafézinho antes de vir para aqui e estava eu a deliciar-me com o dito, quando ouço um voz grave dizer alto e bom som, para que todos fossem obrigados a ouvir que «É que é aos 40 anos que os homens querem verdadeiramente amar, enquanto as mulheres querem é foder…» .

Claro Senhor Doutor que não resisti a voltar-me para fuzilar com os olhos o energúmeno que nos seus músculos flácidos de cinquentão mostrava a sua sabedoria adquirida a exibir notas e as chaves do carro. E também disparei Senhor Doutor, a questioná-lo sobre se tinha algum problema com o facto de as mulheres expressarem desejo, de gostarem de foder, com o facto de as mulheres se masturbarem e terem prazer nisso.

Foi um sururu naquele café que nem imagina Senhor Doutor mas eu não me conseguia calar e defendi que os homens ou se apaixonam antes dos trinta ou nunca saberão o que é isso, quanto muito amam que lhe facilitem as tarefas domésticas, inclusivé aquelas para que se acham tão dotados, passando a gostar mais de deixar o trabalho da corrida para elas.

É um facto, Senhor Doutor, que as mulheres precisam de alguns anos a assar frangos para optarem pelos temperos que gostam e adequarem o tempo de cozedura e também, para se convencerem que não têm de ser a Branca de Neve, a Heidi, a Minnie ou a Clarabela. Mas dizer que os homens só se apaixonam quando lhes baixa o nível de testosterona é o mesmo que dizer que só têm uma cabeça.

0 comentários: