Música

Ai Senhor Doutor, as passagens de ano deixam-me imersa numa absurda ternura.



Olho, frame a frame, todos as transições de ano que vivi e não vivi com os homens que partilharam a minha vida e nessa galeria, tatuo em cada um a sua música, como um requiem.



E sim, Senhor Doutor, não escamoteio a realidade, é verdade que alguns têm uma nota só. Toca e fuga!... Faltou-lhes o brilhozinho nos olhos e a qualidade na letra para me eriçar todos os pelos do corpo e me impelir a repetir a audição do tema. São essas as saudades do futuro.





(às rotundas musas que me inspiraram)

0 comentários: