Dia da Árvore e da Poesia

Hoje é dia de plantar uma árvore.

Porque elas nos dão generosamente uma ampla variedade de bens essenciais.
As madeiras onde comemos, nos sentamos e deitamos. As suas fibras que desenham anéis de memória. A cortiça elástica e roliça. As resinas escorregadias. A pasta leitosa para papel. E os frutos de cores e dimensões tão diversificadas como o arco-íris e as janelas.
Porque elas são o habitat natural de muitos animais e de plantas, como as trepadeiras.
Porque ajudam a prevenir a erosão dos solos, agasalham-nos do vento, tapam-nos com sombra e frescura e fundamentalmente, enchem-nos de oxigénio para respirarmos.

E em nada do que disse tive a mínima intenção de aludir a actos genealógicos.

0 comentários: