O Post invertido

lovers

Pois é Maria, não que eu queira inverter os papeis, mas há dias, em que um homem que passa todo o seu tempo a escutar as mágoas dos outros, não tem onde deixar as suas.

Sabe com certeza Maria, desta fantasia tão masculina que é, ter na mesma cama duas mulheres, cada uma delas mais disposta que a outra, a levar-nos ao paraíso. E eu, tive duas hoje, no meu divã.

No sofá da sala de espera, após a saída do último paciente, esperavam-me duas mulheres jovens, modernas, daquelas que parecia terem saído de um episódio do Sex in the City. Sem hora marcada, entraram no meu gabinete sem que eu lhes tivesse barrado a passagem.

Os olhares que trocavam, o embalo dos corpos que suavemente se tocavam, a linguagem muda das mãos, que pareciam ler em Braille o desejo uma da outra, deixavam no ar uma fragrância que me inebriava. No meu bloco de notas, nada mais que o esboço do meu próprio desejo.

Quase esfreguei as mãos Maria, pensando que tinha ganho o Euromilhões, sem ter apostado um único cêntimo.

Saíram antes de eu saber os seus nomes, conhecer os seus receios ou até, o que as tinha levado ali.

Já recomposto, na recepção, soube que pagaram, pediram o recibo, mas não marcaram uma próxima sessão …

0 comentários: