SEM SEXO E SEM NEXO

Neste post não vou falar de sexo, não senhor, mas tentar com algum nexo falar dos sons que me tocam. Daquelas notas que se escrevem numa pauta com uma clave que se quer preferencialmente de sol e que quando conjugadas de uma forma que se harmoniza como o nosso cérebro até as instituímos como elemento de aproximação com as pessoas que «ouvem a mesma canção» e quiçá, muitas vezes como preliminar erótico, a pegar fogo ao copo de bebida ou à dança.
E também porque a música pode gizar o nosso percurso de vida e os nossos amores. Ainda hoje sei de cor o «Sei quem ele é» porque ser a primeira canção que decorei na vida. E recordo o facto de em 1973, participar num grupo cujos hinos eram o «Canto Moço» e «Os Vampiros» do Zeca Afonso. Aos amores, associei temas de Carlos Seixas, «Saudade» dos Trovante, «I’m your man» de Leonard Cohen, «Romance de um dia na estrada» de Sérgio Godinho e até, «Reise-Amour» dos Rammstein.

E esta introdução toda para me justificar que não apreciando ver todos os blogues vestidos com a mesma farda, com a mesma orquestração, pela perda que isso implica de liberdade e diversidade na blogoesfera e depois, de ter recusado ao Eufigénio a polida travessa dos acepipes estaladiços (leia-se, inquérito sobre cinema), aceitei o desafio do Bin para responder ao inquérito que se segue porque recusá-lo seria como quebrar uma roda de mãos dadas.


Tamaño total de los archivos de música en mi ordenador?
Tamanho total dos arquivos no meu computador?

Honestamente, no computador de casa não tenho um único ficheiro de música. Coloco sempre os cd’s na drive e ouço. No trabalho, tenho quase 1 GB e muitos cd’s na gaveta.

Último disco que me compré:
Último disco que comprei:


A Luta Continua!, dos Ena Pá 2000.

Canción que estoy escuchando ahora:
Canção que estou a escutar agora

A culpa é da vontade, do Humanos.

- 5 canciones que escucho un montón o que tienen algun significado para mí:
5 canções que ouço frequentemente ou que têm algum significado para mim

Escolhi as 5 músicas que mais marcam a minha vida:

Os Vampiros, de Zeca Afonso – por representar a minha música infantil.
Queixa das almas jovens censuradas, de José Mário Branco– por ser a música da minha pré-adolescência.
Wish you were here, dos Pink Floyd – por ter enchido a minha adolescência.
Ne me quit pas, de Jacques Brel – porque me toca de todas as maneiras e feitios.
O primeiro dia, de Sérgio Godinho – porque palavra a palavra, descreve a minha filosofia de vida.

Y como no quiero ser menos que mi predecesor, aquí lanzo el testigo a otros 5 bloggers:
E como não quero ser menos do que o meu predecessor, aqui lanço o testemunho a outros cinco bloggers:

Tenho de escolher 7 e perdoem-me ou chamem-me nomes:
À Mi, de O Ilegal
À Vague, de La Marée Haute
Ao J.Quê?, da Casa de Alterne
Ao Sharkinho , do Charquinho
Ao Cap, do re)primadesblog
Ao Alchemist, do Chesmistry Lab

Ao Nuno Vitorino, da Natação Adaptada

Razões para a escolha:

À Mi, porque me parece uma mulher vigorosamente empenhada na música.
À Vague para nos deixar ler a escrita que há nela nesta onda.
Ao J.Quê? porque adora provocações e desembrulhar-se delas, surpreendentemente.
Ao Sharkinho porque ser o primeiro comentador deste blog é um posto.
Ao Cap para ver o seu poder de síntese musical.
Ao Alchemist, para ver em que transmuta estas letras.

Ao Nuno Vitorino porque é um "tipo sensível" e pode desancar-me ao vivo e a cores.

0 comentários: