In bed

(dedicado à papoila rubra)
(imagem gentilmente cedida por Dániel Herner)

A navegar de blog em blog, de acordo com as práticas quotidianas descritas em qualquer manual, em busca do vale da supresa e daquilo que nos faz parar e querer saber a história daquele local desde a nascença, linha a linha e foto a foto, descobri-o e espetei-lhe o padrão de bookmark.

Depois, arrisquei um comentário, na burka do anonimato que ele permitia. Mais adiante, vesti o próprio nick e aqui vai disto que é o mesmo que dizer, comentários em barda. O gajo, digo eu que sou heterossexual e que as mulheres não escrevem assim, respondia sempre amavelmente e pixel puxa pixel, ou halobicho puxa alôs, lá fizémos da caixa de comentários um chat permanente como quem faz renda de bilros.

Comecei a cobri-lo, Senhor Doutor, como diz uma amiga minha, de blogados beijos, num autêntico banner de "welcome to my life". O desejo crescia e pedia mesmo era a abertura do template para lhe ver todas as linhas de html. Ai tanto, mas tanto que lá queria acrescentar esta imagenzinha:
img scr= "http://www.india.com/kama_sutra.gif" alt="comia-te todinho" border "2"

Convinha embalá-lo e arrisquei alterar o código que assim lhe depositei na caixinha das esmolas:
inbed src="http://moimeme.badgirl.pt/Ena_Pa_2000/Quero_foder_contigo.mp3"
height=70 width=160 autostart=true type=multitasking controls=console>inbed>


Ao que o blogueiro prontamente respondeu:
inbed src="http://www.videocodezone.com/shakira_alejandro_sanz/la_tortura.asx"
type= video loop=false autostart=0 height=95 width=183> inbed>

E vendo esta cena, Senhor Doutor, conclui que tinha sido uma má opção usar um nick tão pimba como Shakira.

0 comentários: