Postal Babilónico

Que a língua é traiçoeira, já todos o sabemos, sobretudo quando resolve ter uma cãibra no momento crucial do linguado. Se a isto somarmos a globalização que por todos os continentes do mundo esparrama informação, temos de deglutir uma verdadeira salada russa que só com paciência de chinês destrinçará o trigo do joio.

Para validar o que afirmo, peguei no Google e procurei algumas palavrinhas portuguesas, escolhidas aleatoriamente, colhendo como resultado uma evidente estupefacção.

Comecei pelo termo sobejamente conhecido que é FODER para ficar a saber que o mesmo se refere à criação de animais, tanto na Suécia como na Dinamarca.

Experimentei de seguida com CONA e constatei que a mesma tanto pode ser um município italiano como o Comité Oceanográfico do Chile e até, numa evidente desvalorização do aumento de profissionais masculinos nesta área, uma conferência de enfermagem. Mais próximo do significante português, encontrei uma empresa transportadora e outra de tecnologia digital.

Pespeguei então com PILA no rectângulo googliano e imediatamente se evidenciaram um munícipio polaco , uma estância turística de esqui , uma curiosa fábrica de lanternas e um software livre , para além de reparar que os nossos vizinhos espanhóis a integram na história das ciências.

Já o vocábulo CU se mostrou mais virado para instituições de culto como diversas universidades de influência anglo-saxónica, das quais destacamos a Universidade do Colorado , bem como para uma newsletter . O mesmo não podemos afirmar do RABO, assente nos negócios de um banco indiano , de uma empresa dinamarquesa e de uma firma de informática .

A confirmar a tradição, constatámos que BROCHE é um portal francês para saber tudo. Por seu turno, o MINETE apenas surge na área da pornografia, quer polaca quer francófona.

Finalmente, detectámos que a FUFA é a Federaçao de Futebol Ugandesa e uma marca chinesa de couros e plásticos enquanto PANELEIRO é sempre um móvel de cozinha para os nossos irmãos de língua brasileiros.

Perante tais dados, a minha única conclusão é que para sobreviver num mundo destes há que tê-los no sítio e assim julgo da maior utilidade deixar aqui à comunidade o Teste Que Mede o Tamanho dos Seus.

0 comentários: