Postal a Garcia

Flora, Francesco Melzi
(óleo sobre tela, 76 x 63 cm), Itália (entre 1510 e 1515)



Garcia de Resende viveu há um ror de tempo, há mais de 500 anos, na passagem do século XV para o século XVI, sendo certo que morreu em 1536. E sabendo-se que este homem de D. João II também se dedicou ao desenho, à música, à poesia e à historiografia, para a posterioridade ficou, sobretudo, o seu Cancioneiro Geral onde reuniu obra de 286 poetas.

Mas o que queremos aqui mostrar hoje são uns excertos da sua Miscelânea, escrita entre 1530 e 1533, nos quais retrata "as novas gentes" da Índia, "com suas falas, usos e costumes”, sendo os dois primeiros referentes ao Malabar e o último a Pegu.


86

Há outras tão desviadas,
muito perto destas tais,
que sendo mui bem casadas,
honradas e abastadas,
são a todos mui gerais:
lançam-se com quantos querem,
sem lhe os maridos tolherem
quantos querem escolher,
deixam-lhe tudo fazer
sem lhe nada repreenderem.

87

Como chegam a idade
moças de dez ou doze anos,
as mães, fora da cidade,
mancebos de autoridade,
de linhagem, sem enganos,
buscam, e mandam chamar,
para as filhas ensinar;
e, perdida a virgindade,
cada uma tem liberdade
de a quem mais quer tomar.

88

Há também costumes tais
em Pegu, que homens competem,
a qual deles terá mais
em seus membros genitais
cascavéis onde os metem;
a sua carne cortando,
e por tempo se soldando
ficam dentro entremetidos:
dizem que são mais queridos
das fêmeas assim usando.

(Grafia de acordo com Natália Correia, Antologia de Poesia Portuguesa Erótica e Satírica, 3ª ed., Lisboa : Antígona, 2000)

0 comentários: