Treino de bancada




Oh mana,

este teu email à beira de um ataque de nervos, lembra-me que apesar de não poderes estar naquele hotel londrino onde no decorrer deste Mundial o futebol está erradicado das conversas mais os media que o difundam mas caramba, as manobras de diversão ainda existem.

Foi uma ideia peregrina comprares esse plasma de cento e tal centímetros, mesmo convidativo para ele se esparramar no sofá atafulhado em latas de cervejas e cascas de amendoins e pistácios. Ainda estás vestida a lamentar a tua sorte?... E se pegasses nos trajes menores e por tudo e por nada, passeasses
constantemente as tuas bolas saltitantes à frente do televisor? Faz de conta que apanhas algo do chão e sem flectir as pernas, nivela-me o rabo bem pelo meio do ecrã. Senta-te ao lado dele no sofá, de cerveja na mão, a beber directamente pelo gargalo e de língua espetada sorve todas as gotas de espuma que comecem a escorrer, com pronunciados sons guturais, que os gajos emprenham muito pelos ouvidos. E quando uma gota de água escorrer da cerveja geladinha mesmo para cima dos teus seios, ou tu forçares um bocadinho para que isso aconteça, chama-lhe desmesuradamente a atenção para a desgraça que te aconteceu e te está a gelar o corpinho.

Se nada disto lhe provocar a tumescência desejada, não há como sentares-te directamente no colo,agitares as nádegas como uma gelatina e garantires o domínio da bola.

Qualquer coisinha mais, é só ligares o bate-papo do gmail ou pegares no head set para delinearmos a táctica nesse mesmo instante.

(imagem deste blog cujo nome não sei ler)

0 comentários: