Melhor que champô


O lisboeta Carlos Alberto Machado, nascido a 18 de Novembro de 1954, consciente de que "Não preciso que me digam que é impuro o que escrevo", no seu Ventilador (Elefante Editores, 2000), inseriu no poema "Caderno Azul" um núcleo para o Luiz Pacheco e na porra da vida que temos fascinou-me o resultado substantivamente melhor do que os champôs que nos publicitam para a cabeça.

VII

(para o Luiz Pacheco)

Pra que queres tu a merda do livro?
oferece o livro à miúda olhadora
aqui pasmada pela tomateira
não vê mas imagina sabe tudo
o que um gajo tem ou não tem
ó filha traz mais uma bejeca
prá miúda traz uma laranjada
toma miúda toma lá o Pavese
ofício de viver a porra da vida
e vai foder com este gajo catita
ele dá-te o livro e paga-te a gasosa
e pira-te quisto é só conversa fiada
tu ó lingrinhas arranja-me uns trocos
o puto Paulo ainda hoje não comeu
com ou sem ofício é preciso viver.

0 comentários: