Um ano de venturosa paixão

Não compreendo os homens, repete incansavelmente, há já um ano, Fausta Paixão.

Por isso aqui deixamos inscritos os parabéns pela paciência demonstrada nessa investigação complexa e até tortuosa de procurar "de que barro são feitos" esses seres que aparentam funcionar apenas com um clique num único botão.

E porque desejamos que continue a pesquisa, fazemos eco dela e deixamos a nossa modesta contribuição para análise das peculiaridades deles.


0 comentários: