Postal do mar, do céu, do azul, dos passarinhos e tudo

André Sardet lidera o top nacional de venda de álbuns e eu gostava de gostar do moço que até canta umas melodias suaves e relaxantes assim como um chá de limão com mel antes de deitar, só que para isso tinha de conseguir não ouvir as letras.

Talvez por sermos um país de navegadores, o homem insiste no mar e no azul para significar paixão que são logo duas coisas que me deixam a tiritar de frio e como tal, por razões de conforto pessoal, resolvi cingir-me ao seu tema Feitiço.

Eu gostava de olhar para ti
E dizer-te que és uma luz
Que me acende a noite, me guia de dia e seduz...


Acontece que desde que em pequenita ouvi o Stevie Wonder que jurei para mim mesma não ser o sol da vida de ninguém, nem tampouco a mãezinha de ninguém para o conduzir na vida e lhe indicar tudo o que deve fazer na cama que mais a mais, tira a pica toda ao momento.

Eu gostava de ser como tu
Não ter asas e poder voar
Ter o céu como fundo, ir ao fim do mundo e voltar...


Cá está outra vez a necessidade de um modelo para copiar. Ora, gaja que é gaja e gajo que é gajo, desunham-se.

Eu não sei o que me aconteceu...
Foi feitiço!
O que é que me deu?
Para gostar tanto assim de alguém
Como tu...


Nestes cinco singelos versos continua a mostrar que não é responsável pelos seus actos e vai atrás dos outros, para além de, como quem não quer a coisa, confirmar que gostar de alguém lhe é uma coisa estranha. Ora, já a minha avózinha dizia que quem não gosta põe à borda do prato e come outra coisa.

Eu gostava que olhasses
para mim
E sentisses que sou o teu mar
Mergulhasses sem medo, um olhar em segredo, só para eu
Te abraçar...


Não obstante não gostar, exige que nos afoguemos nele e apenas para ter a recompensa mínima de um abraço. Ora, este gajo só pode ser um avarento.

Repete o refrão e faz finalmente luz sobre o que quer:

O primeiro impulso é sempre mais justo, é mais verdadeiro...
E o primeiro susto dá voltas e voltas na volta redonda de um beijo profundo...


O gajo que é um gajo, confessa o vulgar de Lineu: cede ao primeiro impulso e assusta-se que se note o enchumaço nas calças a denunciar que quer dar umas cambalhotas e vai daí começa com um linguado. E dá ele tantas voltas para isto.

Para que possam ouvir o som fui buscá-lo ao You Tube, junto com um video cujas imagens, entre as que havia disponíveis, foram as que mais me apelaram às vistas.

0 comentários: