Fahrenheit 2/11 ou Ocean's Elevens


A Mariana está na faculdade e saiu-lhe a lotaria de ter pais ricos. Teve um acidentezeco que lhe poderia pôr em causa o seu percurso de vida tão bem encaminhado mas a mamã que é uma qu'ida já falou com um médico muito amigo do pápá, desde os tempos em que lhe ensinou todos os truques para fugir ao fisco e contornar a lei, que na sua clínica lhe vai despachar a coisa num instante e ela pode livremente decidir o que fazer do seu futuro.

A Jessica não tem pais ricos nem lhe saiu a lotaria nem tem dinheiro para pedir um empréstimo ao banco para comprar uma casa e vive na da tia que lhe faz esse favor desde que a mãe morreu de overdose que o pai desapareceu 5 semanas após a concepção. Depois de uns apalpões do Fábio que já é repositor num supermercado a coisa deu-se e não havia ali preservativos à mão e ele até disse que saltava do comboio em andamento e sabia lá ela que era justamente naquela altura o período fértil ou lá o que isso era.

Agora, a Jessica está a ser ajudada numa benemérita associação de reeducação e apesar de quase não ter roupa que lhe sirva com aquele barrigão já sabe mudar fraldas, fazer biberões e segurar correctamente na cabeça de bébés. Agora o seu futuro já está assegurado como futura ama de bébés de meninas como a Mariana, com posses e sem tempo, quando estas decidirem ser mães. E está conformada por não ser responsável como essas outras porque lhe ensinaram muito bem que só pode ser uma mãe de segunda e não pode desejar para o seu filho o mesmo que as outras desejam que às tantas, isso ainda é pecado.




Histórias morais há muitas: cada um toma a que quer. No domingo nem que chova a cântaros vou votar. Obviamente, SIM.

0 comentários: