Trinta menos um

Felizmente não é um 31, mas trinta menos uma perguntas para responder, o desafio que a Fábula me fez.


1. Qual é a sua maior qualidade?
Não ter medida definida para coisa nenhuma e aceitar que todos os tamanhos são possíveis.

2. E seu maior defeito?
Não os encontrar porque não os procuro.

3. A característica mais importante num homem?
Ter incorporado um chip de partilha que eu sou muito dada às novas tecnologias.

4. E numa mulher?
O mesmo que referi para um homem. É que mesmo que às vezes não pareça, creio firmemente que são ambos pessoas e da mesma espécie.

5. O que você mais aprecia nos seus amigos?
O entendimento e a partilha de cumplicidades, mesmo que tenhamos opiniões diferentes.

6. Sua actividade favorita é…
Praticar sexo, obviamente!... Depois, é escrever porque fico mais inspirada. Como se sem colocar pilhas a cabeça não funcionasse.

7. Qual a sua ideia de felicidade?
Os momentos em que sentimos que vale a pena estar vivo. Como se diz na campanha da Superbock "Perfeito, perfeito é o convívio nas horas de ponta".

8. E o que seria a maior das tragédias?
Sentir que nada nos prendia à vida e nada fazia sentido.

9. Quem você gostaria de ser, se não fosse você mesmo?
Nunca quis ser outra pessoa. Pelo menos, a tempo inteiro. Às vezes, tem graça encarnar outros personagens, sobretudo se durante muito tempo repetimos a mesma pessoa na cama.

10. E onde gostaria de viver?
Em Portugal... mas com uma mentalidade e uma política social e económica nórdica.

11. Qual a sua cor favorita?
Roxo.

12. Uma flor?
A papoila efémera que não sobrevive envazada.

13. Um pássaro?
Só mesmo «Os pássaros» do Hitchcock.

14. Seus autores preferidos?
Com livros publicados, são estes os que me lembro logo : o Saramago e o Lobo Antunes; o Boris Vian e o Kurt Vonnegut; o Luiz Pacheco e o Mário Cesariny; a Rosa Lobato Faria e o João Aguiar; o Camilo e a Anais Nin.

15. Os poetas que mais gosta?
O Mário Cesariny, o Al Berto, o Fernando Assis Pacheco e o Pessoa.

16. Quem são seus heróis de ficção?
Sobretudo os de banda desenhada: Astérix, Obélix, Alex Munshine, Simon du Fleuve, Buddy Longway, Corto Maltese.

17. E as heroínas?
De caras, a Mafalda do Quino, pela enorme identificação com a personagem. E noutro registo, a Valentina do Guido Crepax.

18. Seu compositor favorito é…
Nos clássicos, o Carlos Seixas porque me toca a sua música cheia de mesuras e dançável. Pelo dedilhar das guitarras, o Carlos Paredes.

19. E os pintores que você mais curte?
A Frida Khalo e a Paula Rego. O Picasso e a Vieira da Silva. O Luís Dourdil, o Artur Bual e o Júlio Pereira.

20. Quem são suas heroínas na vida real?
21. E quem são seus heróis?

A estas duas tenho de responder em conjunto: os idosos deste país que com uma reforma miserável sobrevivem até ao final de cada mês. Também as mulheres e os homens que conseguem trabalhar a dobrar numa actividade profissional e em casa. Mais as mães e os pais que sozinhos, a fazer o papel de ambos, conseguem que o crescimento dos seus filhos seja feliz. E todos os que entendam que ninguém é de ninguém e não tenham ciúmes mais de 10 minutos por ano.

22. Qual a sua palavra favorita?
Liberdade.

23. O que você mais detesta?
Violências e injustiças. Competição e bajulação.

24. Quais são os personagens históricos que você mais despreza?
Júlio César, Carlos Magno, Torquemada, Hitler, Mussolini, Salazar, Franco, Pinochet.

25. Que dons naturais você gostaria de possuir?
Saber pintar.

26. Como você gostaria de morrer?
Durante uma queca para ter uma "pequena morte".

27. Qual seu actual estado de espírito?
Cinzento como os dias.

28. Que defeito é mais fácil perdoar?
Por grosso, não sei. Todos os defeitos são passíveis de serem perdoados (ou não) em função de todo o contexto que é cada pessoa.

29. Qual é o lema da sua vida?
Nada vem do nada e para a frente é que é caminho.

0 comentários: