Afrodisíaco camiliano


Saltando suavemente de blog em blog encontrei esta pornografia:

na semana a seguir à morte do meu pai depois de jantar e até tarde eu sentava-me diante do computador passava horas a ver raparigas nuas e pornografia na internet não entendia o que me estava a acontecer achava o meu comportamento inadequado e contraditório sentia-me culpado e pensava agora ele está lá em cima a ver-me agora ele sabe tudo sobre mim agora ele sabe o amor verdadeiro que eu lhe tinha e sabe que às vezes não me portei tão bem como isso mas eu via-o sobretudo debruçado sobre mim cheio de espanto chocado desiludido ele que sempre me considerara uma pessoa responsável um rapaz sério agora descobria que eu era uma espécie de tarado sexual. eu sabia que ele me via e no entanto não me cansava de olhar para as raparigas nuas de as ver de pernas abertas e a foder e quando me cansava de uma ou não gostava dela procurava logo outra. o curioso é que elas não tinham ar de ser putas eram iguais às raparigas que eu encontrava nos cafés com quem me cruzava nas ruas tinham o ar mais sério deste mundo podiam perfeitamente ser minhas namoradas se eu as conhecesse. e em vez de respeitar o luto em vez de me concentrar na dor provocada pelo desaparecimento inesperado do meu pai eu passava horas a ver pornografia na internet febril excitado fora de mim. sentia-me culpado estúpido mas não conseguia parar.


O resto está em nada.niente e o seu autor é este senhor.

0 comentários: