Même moi

A Hipatia voltou a atirar outra corda a moi-même.Esta:

(*) Um “meme” é um ” gene cultural” que envolve algum conhecimento que passas a outros contemporâneos ou a teus descendentes. Os memes podem ser ideias ou partes de ideias, línguas, sons, desenhos, capacidades, valores estéticos e morais, ou qualquer outra coisa que possa ser aprendida facilmente e transmitida enquanto unidade autónoma”.

Como ondulo entre a imagem e a palavra, a experimentação e a sensação, vão dois:



«As artes não são uma maneira de ganhar a vida. São um modo muito humano de tornar a vida mais suportável. Que raio, praticar uma arte, não importa se muito bem ou muito mal, é uma maneira de fazer crescer a alma. Cantem no chuveiro. Dancem ao som da rádio. Contem histórias. Escrevam um poema a um amigo, mesmo que seja um péssimo poema. Façam-no tão bem como vos é humanamente possível. Terão criado alguma coisa.»
VONNEGUT, Kurt, Um Homem Sem Pátria, Lisboa: Tinta-da-China, 2006


E como me pareceu pouco meia dúzia vai aqui uma dezena de felizes contemplados com o "meme" : Ana, Elipse, Finurias,Gaivina, Karla, Mad, Maria, Ness Xpress, Papo-Seco, Zé.

0 comentários: