Nas couves


Sonhamos que o amor seja como uma couve portuguesa a que vamos comendo as folhas que logo depois rebentam e crescem mais para migarmos.

Começo a crer que o caldo verde é poesia em forma de sopa.

0 comentários: