Corte e costura

1. Como o azeite vem sempre à tona, assim há parágrafos únicos que da azia dos dias fazem tempero:


houve um tempo em que morríamos por escrito, lembras-te? em que matávamos com um ponto bem gravado da esferográfica no final da frase. trocávamos carícias entre vírgulas, bem sei. arredondávamos dúvidas, erguíamos espadas em resposta. hoje já não morremos por escrito. para isso, bem o sabes, era preciso que estivéssemos vivos.

mais uma úlcera do azia @ 18:31







(Foto © Maria Flores, 2007, A modern romance)


2. E ainda as férias com a pitada da sensual pronúncia francesa:

0 comentários: