Desgarrada


Vi no Arte sem Muros um desafio de provérbios que pela simples junção de duas pequenas frases confere carga erótica a qualquer rifão da sabedoria popular. O Paulo Vinhal tinha construído este:

Quem te manda a ti debaixo dos lençóis
Tocar rabecão entre as pernas

E não resisti a entrar na desgarrada:

Grão a grão debaixo dos lençóis
enche a galinha o papo entre as pernas

Quem tudo quer debaixo dos lençóis
tudo perde entre as pernas

Quem não tem que fazer faz colheres debaixo dos lençóis
que o pau está barato entre as pernas

Mulher bonita debaixo dos lençóis
nunca é pobre entre as pernas

Homem pequenino debaixo dos lençóis
embusteiro ou bailarino entre as pernas

No melhor pano debaixo dos lençóis
cai a nódoa entre as pernas

E logo se ouviram mais as vozes
do Erecteu
Enquanto o pau vai e vem DEBAIXO DOS LENÇÓIS
folgam as costas ENTRE AS PERNAS

A mulher como a sardinha DEBAIXO DOS LENÇÓIS
quer-se pequenina ENTRE AS PERNAS

Quem vai à guerra debaixo dos lençóis
Dá e leva entre as pernas

do Alcaide
Cada roca debaixo do lençol
com seu fuso entre as pernas

e da Claire
Mais vale tarde na cama do que nunca entre as pernas

0 comentários: