A Água

( E num rigoroso exclusivo chez moi, a poesia do Alcaide para o dia de hoje)



Água

Canta no teu corpo a água
que corre aí nesse leito
onde me afagas e deito
os olhos da minha mágoa.
Gotas murmuram no peito
caem chorando saudade,
no rio que o sonho invade
o mar do amor perfeito.
Beijando teu corpo,inundo,
tuas curvas nesse jeito,
que me contentam e aceito,
sereno luar profundo.
Os olhos da minha mágoa,
choram no teu corpo a água.

Alcaide

0 comentários: