Livre no prazer de escrever

A Fábula lá deslocou umas peças da minha sabática para me encher a barriga com um prémio: o Escritores da Liberdade. Agradeço-lhe a nomeação mesmo que seja público que só o prazer me move a escrever e sem essa liberdade nem uma letrinha me sairia das mãos ou da boca.

Este prémio nascido no Brasil ao início da noite de 29 de Outubro de 2007, foi criado pela Batom Cor de Rosa , inspirando-se no filme de Richard LaGravenese que em Portugal passou com o título Palavras de Liberdade, para distinguir "Blogueiros que publicam a sua liberdade de expressão".

Onde a porca torce o rabo é que só posso fazer 5 nomeações e muitos dos que constam ali na minha coluna esquerda se encaixam nas características de escrever por prazer o que lhes dá na real gana, sem pensarem que por isso vão engatar ou não alguém ou que fulano e sicrano vão dizer frito ou cozido, apenas condicionados pelo que o seu perfeccionismo lhes dita na escrita. Valha-me o facto de alguns já terem sido nomeados e do sexo servir para alguma coisa e passo o galardão às meninas Fausta Paixão, Madalena, São Rosas, Vague, Vanus, e aos meninos Bino, Garfanho, José Quintas, Paulo Vinhal e TOM.



(imagem: criada a partir de uma foto de Mario Testino e remodelada aqui a que se colou o selo no Paint)

21 comentários: