Amália de todos nós



Duas singelas capas da sensual Amália Rodrigues, de 1968 e 1974 respectivamente, a ostentar um prazer proibido debaixo de telha a partir deste ano, excepto chez nous ou nas prisões do Estado. Na liberdade de quatro paredes caiadas é uma casa portuguesa.


0 comentários: