Cu de calças (2)

Na sequência da última crónica ficou pendurada a análise mais detalhada da moda das calças a descair da cintura que mais do que um acto de rebeldia adolescente se afigura ser sobretudo, um factor de discriminação.

Este modelo a descair no rabo discrimina os criativos. Impede que estes suponham o que está para lá do muro têxtil já que sobressai logo a carninha até quando são camadas salientes de gordura ou o mau gosto da roupa interior que se veste. Estas calças são o Mac Donald's do pronto-a-vestir.


Mas esta peça de vestuário também discrimina as mulheres hetero e os homens homossexuais já que as calças descaídas nos sujeitos masculinos não facilitam a percepção das formas traseiras e os boxers às bolinhas ou com bonecada são de pouco consolo e quiçá até inibidores de qualquer estimulação erótica. Já nas mulheres ficam os lombinhos expostos sem apelo nem agravo para o bem e para o mal. Neste panorama ficam-me as saudades dos suspensórios que elevavam o bom da fita.


A adesão a esta moda quer-me parecer que radica no imediatismo corrente. É a urgência de não perder tempo e conseguir logo informações sobre o utilizador das calças a partir da lingerie que mostra, tal como se obtém dos rótulos das embalagens no supermercado.










[Fotos: © ABCNews; imagem gentilmente enviada por email; © Paulo Madeira, 2007, Ausência]

0 comentários: