Era virgem mas curou-se

A Madonna era uma santa e isso inquietava-a, transtornava-a, aborrecia-a mesmo como se pode ver tanto na frente como nas costas do seu primeiro álbum em 1983.


No ano seguinte continuava apreensiva mas desvenda que apesar dos seus seios roliços e olhar de matadora o seu problema era parecer uma virgem de flor de laranjeira na mão.


Essa questão ficou entretanto resolvida e o 3º e 4º disco de Madonna, em 1986 e 1989, já a mostram com um ar satisfeito e a abrir logo as calcinhas como quem pede aos anjinhos por mais. Como a água tónica ela há aprendeu a apreciar mais coisas.


A seguir é como andar de bicicleta e a Madonna já se sente erótica e cheia de histórias de cama, tanto que já cola os seus esgares de prazer e o seus sorriso rasgado com uma intensa maquilhagem de cama nas capa dos LP's seguintes de 1992 e 1994.


Depois, parece que 1998 foi afectada por um raio de luz e dedicou-se a ser boa americana até 2003, ora armada em cowgirl ora em rebelde, com uma compreensível preocupação de volta ao olhar como qualquer europeu que não goste de Bush compreenderá.


Em 2005 regressa cor de rosa e feliz para dançar no mundo sob luzes cénicas e confessar uma sensualidade posta nos pormenores do salto do sapato e no ruivo do cabelo visíveis para quem quiser olhar.


E no corrente ano em que se torna cinquentona e antes que pensem que arrumou as botas, calça-as e é uma Madonna de cruz ao peito que acrescenta couro nos pulsos e preto na lingerie para mostrar que é um doce que vai à luta.


[Nota: fontes geralmente bem informadas avançam que Madonna actuará a 14 de Setembro no Parque da Bela Vista, em Lisboa]

0 comentários: