A Vague na crista da onda


Muitos parabéns, Vague!
Encomendei este bolo para hoje te dar os parabéns e desejar que continues na crista da onda.

E para te acompanhar chamei um dos teus poetas preferidos, o Jorge de Sousa Braga:

Escalada
Chamar-te colibri sussurrar-te
ao ouvido coisas ácidas e ternas
Morder-te no pescoço, nos ombros, nas nádegas
Sentir a humidade entre as tuas pernas

Selar-te as pálpebras com saliva
enquanto gritas que me odeias e me amas
as minhas mãos numa roda viva
entre as tuas nádegas e as tuas mamas

A minha língua, a tua língua o meu
pénis, o teu clitóris, a minha língua
o teu clitóris, o meu pénis, a tua língua

De joelhos como se implorasse
Enterra-lo bem fundo entre as tuas pernas
Deixar que um raio nos trespasse.

0 comentários: