Já viu o seu chapéu de chuva hoje?

[Foto © Franca Alejandra, 2007, Under my Umbrella]


Sob o meu chapéu de chuva,
não se ajoelham meninas
Não me assentam como luva
Essas camas tão pequeninas

Gosto de espaços abertos
À vista de toda a gente
Para confirmar que estão certos
Os prazeres que a gente sente

Para despertar a inveja
E acender a paixão
Àqueles que a língua sobeja
Mas já não têm tesão

Bartolomeu

0 comentários: