Segóvia


A culpa foi dos meus olhos castanhos de encantos tamanhos tal e qual se cantam na pimbalhada sobejamente conhecida que ele elogiava sempre numa desmedida catarata de adjectivos. Ao contrário do meu desempenho na cama que só com pergunta directa encostada à nuca balbuciava que sim, que tinha gostado e nem mais uma palavra gotejava que confirmasse que era mais qualquer coisita que uma queca banal daquelas para impedir a espasticidade dos músculos e espairecer do nevoeiro dos dias.

Albergado na teoria de que não o atraíam as gajas boas poupava-se ao incómodo de me transmitir que era uma. E tal recato furava-me de espanto que caramba, gaja que se quer querida pelos neurónios também espera que lhos gabem na execução das funções sexuais.

A não ser que ele se apaixonasse apenas pela paixão que lhe dedicassem.



[Imagem gentilmente enviada por Xico L.F.]

0 comentários: