O novo deus grego

Este artista de seu nome Sakis Rouvas ganhou em 2003 o prémio da Vogue grega para a "Celebridade com mais estilo" e logo no ano seguinte, o da "Aparência mais sexy em videos" da MAD Video , por Sentimentos (Pes Tis), a que somou em 2005 o de "Homem do Ano," graças ao qual ainda hoje circula por emails dos cinco cantos do mundo etiquetado como o homem mais bonito do mundo que o gajedo quer é lavar as vistas próprias e as das amigas.




Não obstante, este grego que mesmo sem repuxar a ganga das calças no sítio onde sofrem mais pressão pode ser considerado um deus, canta. Podemos mesmo afirmar que o faz com uma musicalidade e melodias dignas de um Tony Carreira. E se atentarmos na sua postura em palco somos catapultados para as coreografia de um Angélico com uma pontinha da pujança do também grego George Michael.



Inegável parece ser a sua ligação mediterrânica já que os seus sucessos recordam outros tão nossos conhecidos. Repare-se na sintonia dos seus álbuns Tudo está bem (Ola Kala, 2002) e Eu parei o tempo (To Hrono Stamatao, 2003) com o Bem Bom das Doce e Deixa-me Parar o Tempo de Mickael Carreira. Até o seu primeiro contacto internacional ocorrido no Festival da Eurovisão de 2004 no qual representou a Grécia com Shake It, imediatamente nos recorda o Mexe,mexe que eu gosto da Ruth Marlene ou o nosso popular Mexe mexe mexilhão. Mas a ligação continuou em Estou apaixonado por ti (S' exw erwteutei, 2005) a lembrar logo o Perdidamente apaixonado do Toy e com Baladas ao Vivo (2006) tal e qual como o Baladas & Rock de José Cid. Finalmente os cd's de Sarkis de 2007 , Alter Ego e a colectânea Esta é a minha vida, possuem uma evidente conexão com Estás sempre em mim e A vida que eu escolhi, ambos êxitos de Tony Carreira.

0 comentários: