Pipi


Cresci com a Pipi das Meias Altas na televisão a preto e branco, assim confortada por não ser a única miúda a vestir saia e a pular, a correr e a cantar pelas ruas fora como se fosse uma boa ideia estar viva como a Pippilotta. E ser responsável pelo que fazia e pelo que não fazia.

Mais tarde, aí por 1973 ou coisa que o valha, era também sueca a enciclopédia traduzida em português que me deram para saber como começava a vida entre os humanos, como a espécie se reproduzia e como os humanos tiravam prazer disso e quais eram os contraceptivos que existiam nessa época. 

Em 1974, a Suécia decepcionou-me que habituada que estava a Beatles, Cat Stevens, Rick Wakeman, Jethro Tull e Genesis, os ABBA soavam-me como uma parolada qualquer quase semelhante aos Aguedenses nos bairros de aldeia. Valha-me agora a Greta para me reconciliar com esse país de grandes mulheres que sabem o que fazem sem necessidade de paternalismos de nenhuma espécie educadas que foram como pessoas livres com causas próprias e causas comuns.

Comentários

Mensagens populares